Translate

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Secretaria de Saúde prorroga campanha de vacinação até dia 5 de dezembro

Secretaria de Saúde prorroga campanha de vacinação até dia 5 de dezembro
           
        A Secretaria de Saúde em Uberlândia vai prorrogar até dia 05 de dezembro o prazo para que pais e responsáveis levem crianças menores de cinco anos aos postos de vacinação. A campanha que teve início no dia 08 e terminaria hoje, tinha como meta imunizar 95% do público alvo contra poliomielite e sarampo. Até o final da manhã haviam sido distribuídas 23.319 doses da vacina contra pólio, 63% da meta. As doses contra o sarampo alcançaram 61,3% e imunizaram 20.170 crianças.  A procura pelas 68 salas de imunização disponíveis se manteve abaixo da expectativa durante os dias da campanha regular e motivou a decisão de estender o prazo.

SALAS DE VACINA

        Os pais podem procurar a dose nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs), Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e nas sedes dos Programas de Saúde da Família (PSFs) da zona urbana e rural do município.

POLIOMIELITE

        A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave e a única forma de prevenção é por meio da vacinação. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

        Embora, atualmente, o Brasil esteja livre da paralisia infantil, é fundamental a continuidade das campanhas de vacinação, para evitar a reintrodução do vírus no país. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 10 países registraram casos de poliomielite em 2013 e 2014, sendo que três deles são considerados endêmicos (Paquistão, Nigéria e Afeganistão).

SARAMPO

        O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A única forma de prevenção também é por meio da vacina.

        Os últimos registros de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000. Em 2013 e 2014, foram registrados casos importados ou relacionados à importação, com concentração nos estados de Pernambuco e Ceará. No mundo, em 2014, foram registrados 160 mil casos da doença, de acordo com a OMS. Cabe ressaltar que, com o fluxo de turismo e comércio entre os países, o risco de importação do vírus é maior, por isso a importância da imunização.