Translate

domingo, 29 de janeiro de 2017

Área recebe 2 mil mudas de árvores

Área recebe 2 mil mudas de árvores
Espécies frutíferas como pequi, jenipapo e jatobá foram plantadas

Dmae/Divulgação


A vegetação próxima a um dos córregos que compõe a bacia do Rio Araguari, onde o Dmae está construindo a estação de captação de água, está mudando com a inserção de espécies nativas do cerrado. A equipe da Gerência Ambiental realizou, nesta semana, o plantio de 600 mudas totalizando 2 mil nesta primeira etapa.

O plantio faz parte das medidas de compensação da área que foi utilizada para construção da estação de captação que vai produzir 15 milhões de litros de água - o suficiente para abastecer uma cidade de 1,5 milhão de habitantes.

A recomposição da área começa com a proteção do local. “Primeiro construímos uma cerca para evitar que os animais domésticos como vacas e cavalos andem na área. Depois é feito o plantio”, disse Geraldo Silva, integrante da Gerência Ambiental. São 47 espécies típicas do cerrado entre as quais árvores frutíferas como pequi, baru, jenipapo e jatobá.
            A escolha de espécies frutíferas ajuda na recomposição mais rápida pois a vegetação torna-se um atrativo tanto para aves quanto animais de chão. “Com isso a gente espera que dentro de 10 a 15 anos ter uma formação completa. São os animais que vão ‘reconstruir’ a floresta. Nós estamos somente dando um empurrãozinho”, disse Geraldo Silva.

            Na área foi feito um plantio mais adensado do que o normal, utilizando-se as 2 mil mudas, para que haja uma recuperação mais rápida. “A quantidade e a variedade de especies utilizadas é a ideal porque algumas podem não se adaptar. É normal ter 10% de perda”, afirmou Geral Silva.

            Até o final do ano, o Dmae vai realizar o plantio de 80 mil mudas nas bacias dos rios Araguari e Rio Uberabinha.

Gleide Corrêa
(34)3239-2441