Translate

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Semana Mundial do Combate e Prevenção da Hanseníase realiza ação na Rodoviária

Semana Mundial do Combate e Prevenção da Hanseníase realiza ação na Rodoviária
 
Agentes distribuíram folhetos e orientaram passageiros sobre a doenç;  UBSFs terão ações.
 

Dando continuidade às ações da Semana Mundial do Combate e Prevenção da Hanseníase, os agentes da Secretária Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, realizaram várias atividades na Rodoviária de Uberlândia, nesta terça-feira (24). A hanseníase é uma doença transmissível que afeta principalmente a pele e os nervos periféricos e é considerada um problema de saúde pública, que exige vigilância em todos os níveis de atenção.

Em parceria com o CREDESH (Centro de Referência Nacional em Dermatologia Sanitária e Hanseníase), MORHAN (Movimento de Reintegração da Pessoa Atingida pela Hanseníase) e a CBA (Casa das Bem Aventuranças), os agentes distribuíram folhetos e orientaram os passageiros que passavam pelo local sobre os sintomas e a importância do diagnóstico precoce. Além disso, foi exposto um painel com fotos sobre a doença, teve roda de conversa e apresentação musical e teatral.

            Nesta quarta e quinta-feira, a partir das 7h, os agentes estarão presentes nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF). Na quarta, as atividades serão nas unidades dos setores Oeste, Central e Norte. Na quinta é a vez das regiões Leste e Sul.

Com 28.761 novos casos de Hanseníase registrados em 2015, segundo o Ministério da Saúde, o Brasil é atualmente é o segundo país em incidência da doença. No mesmo ano, foram notificados em Uberlândia 99 novos casos. Já em 2016, 115 casos foram confirmados.

Segundo a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Fernanda Resende, todos os pacientes confirmados passampor tratamento e acompanhamento gratuito e contínuo. “Ao suspeitar de um caso de hanseníase ou diagnosticá-lo, o paciente será encaminhado para os centros de referência no tratamento. Nos estágios iniciais a doença não é transmissível, mas, se demorar a tratar, a doença evolui e a pessoa começa a transmitir. Por isso, a importância de um diagnóstico precoce”, explicou.
  

Sinais e sintomas:

- Áreas na pele que ficam secas, sem pelo, sem suor e com perda de sensibilidade;

- Manchas esbranquiçadas ou avermelhadas, e caroços na pele;

- Dormência e/ou formigamento, que podem ser percebidos como coceiras, piniqueiras e ardência, em qualquer parte do corpo, principalmente em pés e mãos;

- Dor nos nervos responsáveis pela sensibilidade e a força nos braços e pernas;

Programação
25/01/2017
Local: Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) - Oeste, Central e Norte
Horário: 7h às 11h e 13h às 17h
Atividades: Informação sobre hanseníase, apresentação musical e teatral.

26/01/2017Local:Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) - Leste e Sul
Horário: 7h às 11h e 13h às 17h
Atividades: Informação sobre hanseníase, apresentação musical e teatral.

27/01/2017 - Encerramento
Local: Centro Administrativo (Saguão)
Horário: 13h às 17h
Atividades: Informação sobre hanseníase, apresentação musical e teatral e roda de dança.


23/01/2017
Hismênia Keller
hismenia@uberlandia.mg.gov.br