Translate

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Jose Amaral Neto

Quando em um evento com mais de 200 pessoas alguém se lembra do cara ao lado como seu professor e chama a atenção da platéia se mais alguém teve ele como seu mestre, e muitos outros se pronunciam com alegria, é preciso registrar que a Educação, é sim, um caminho que deve ser priorizado. E mais, o professor deve ter a oportunidade de se perceber um Líder.
A alegria dos que se manisfestaram em homenagem ao professor presente na platéia, até então incógnito, mostra que ainda há respeito pelo Educador. Então por que há tanta evasão escolar? O que há de errado? São perguntas de respostas duras e ortodoxas. Entretanto, a brecha que a platéia alertou, fica também na conta dos professores que não se manifestam em sala de aula. Aqueles "ensinadores" que só ensinam e não sabem interagir com a turma.
O Brasil ainda é retrogrado quanto ao respeito ás pessoas. E sem observar essa regra básica de convivência não existe esforço que valha a pena. Ser idoso é ser velho e carcomido. O que é um equivoco. Referenciar a melhor idade é um dos princípios básicos para se ter um futuro que contenha qualidade de vida. E isso se reflete no banco escolar. Se não vejo liderança nos que estão á minha frente: professores, pais, avós, na vida profissional, não tem como absorver o bem do mundo.
Um país se faz com homens e mulheres que conhecem sua história, seu universo doméstico e o plural do seu país. E isso se faz com o respeito ao ouvir quem já viveu e pode contar a História. Seja um mais velho, ou o professor que se preparou para isso. O simples exercício de álgebra pode encurtar distâncias e unir saberes que melhoram o mundo.
Saber independe de saber. Quase sempre aprende-se olhando. É preciso saber ver para encontrar o que se quer olhar. Transportar a qualificação profissional para o zelo em tratar bem qualquer ser humano. Objetivando não escolher, mas compartilhar a escolha. Sentir o outro sem julgamento e se perceber parte. Promover a alegria, não a de sorriso aberto, mas aquela reprimida que precisa do ar que se respira.
A ideia de ter-se o professor como referência ainda é um tabu em um país que prima pelo "levar vantagem em tudo" sem olhar a quem prejudica com atitudes sem regras. Obedecer não é abaixar a cabeça, ou ser simplesmente "uma vaquinha de presépio". Obedecer é ter princípios e saber respeita-los. Não somente pra si, mas para que seja agentes transformadores do ambiente em que se vive.
A Educação precisa ser repensada não didaticamente, mas na maneira que se utilizam suas ferramentas disponíveis. É preciso que seja lembrado em todas as salas de aulas, Anísio Teixeira, Paulo Freire, e tantos outros que emprestaram suas vidas pelo bem do Brasil. Saber sobre eles é ter educação na alma.
O evento desta platéia e deste professor reverenciado, aconteceu em um auditório no campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). O mestre em questão é um profissional que ministra aulas em cursos pré-vestibular e ensino médio. Vamos Conversando.